Mini bios

Aline Rocha de Souza F. de Castro
É bacharel em Museologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) (2006); Mestre em Museologia e Patrimônio pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) (2009); Especialista em Acessibilidade Cultural pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (2014), Doutora em Ciências (Geologia) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) (2014) e Bolsista de Pós-doutorado Júnior do CNPq, na Coordenação de Museologia do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST) (2017-2018).    Atualmente é museóloga e vice-diretora do Museu da Geodiversidade (MGeo – IGEO – UFRJ), coordenadora da Câmara de Acessibilidade do Sistema Integrado de Museus, Acervos e Patrimônio (GT SIMAP – UFRJ), membro do Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva (UFRJ), professora (colaboradora – mestrado) do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio (UNIRIO – MAST), pesquisadora (colaboradora) do Laboratório de Estudos de Comunidades Paleozoicas (LECP – UNIRIO) e professora do Curso de Especialização em Acessibilidade Cultural (UFRJ/MinC).     Atua principalmente nos seguintes temas: Museologia, Museografia, Patrimônio Natural (com ênfase em Patrimônio Geológico e Científico e Geoconservação), Divulgação Científica, Museus Universitários e Museus Acessíveis. 

Ana Paulo Cazeiro
É graduada em Terapia Ocupacional pela Universidade de São Paulo; Mestre e Doutora em Psicologia pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. É professora Adjunta III do Departamento de Terapia Ocupacional / Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no qual, entre outras atividades, ministra as disciplinas de “Análise do Movimento Humano nas Atividades Cotidianas” e “Brincar em Terapia Ocupacional”, é membro do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Graduação em Terapia Ocupacional e é membro da Comissão de Relações Internacionais da Faculdade de Medicina. É Editora Associada da REVISBRATO. Foi terapeuta ocupacional concursada da Prefeitura Municipal de São Paulo e da Prefeitura Municipal de Vitória, atuando na Atenção Primária à Saúde e no Centro de Referência no Atendimento ao Idoso, respectivamente. Realizou o curso de especialização em Reabilitação do Aparelho Locomotor e Terapia da Mão, o curso de aperfeiçoamento no Método Neuroevolutivo – Bobath, e o Curso de Formação de Instrutores em Hatha Yoga. Desenvolve estudos sobre: conceitos de atividade, ocupação e cotidiano; ambiente e participação de crianças com deficiência; formação de conceitos por crianças com deficiência e por crianças com desenvolvimento típico; paralisia cerebral; sequelas da imobilização no leito; análise do movimento nas atividades cotidianas; formação profissional em Terapia Ocupacional; Terapia Ocupacional na Atenção Primária à Saúde.

Anna Paula Feminella (ENAP)
Especialista em Gestão Pública pela Escola Nacional de Administração Pública – ENAP (2012) e em Educação Física Escolar pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996). Possui graduação em Educação Física pela Universidade do Estado de Santa Catarina (1994). Foi assessora da Secretaria-Executiva da Secretaria de Governo da Presidência da República , responsável pela capacitação na agenda do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil de 2014 a 2015. Representou a Secretaria de Governo da Presidência da República no Grupo Interministerial de Avaliação e Monitoramento do Plano Viver Sem Limite. Tem experiência na área de Educação e Gestão Pública.Atuou na coordenação do Programa de Inclusão de Pessoas com Deficiência na Presidência da República no período de julho de 2014 a julho de 2016. É servidora efetiva da Escola Nacional de Administração Pública desde 2010.

Andréa Chiesorin (Universidade da Cidadania – UFRJ)
Graduada em psicologia pela Universidade Gama Filho (1991), pós-graduada em Políticas Públicas e Cultura de Direitos NEPP/DH – CFCH/UFRJ/2016 e em Acessibilidade Cultural Medicina/Terapia Ocupacional/Medicina/UFRJ/2014. Minha principal experiência se dá no campo da Defesa e da Atenção, tendo como metodologia às Artes e os Direitos Humanos e é pela perspectiva da Análise Institucional que estabeleço minha práxis. Tive formação complementar no Centro de Estudos Sócio-Psicanalíticos (CESOP/1989). Em psicologia social busco enfatizar caminhos ao desenvolvimento regional pela promoção de grupos sociais de modo a contribuir com a efetivação de política acessíveis. Bailarina Clássica (1979) e Contemporânea (2000), co-fundadora da Pulsar Companhia de Dança (2000), co-fundadora do Instituto de Imagem e Cidadania Rio (1996); Diretora da Associação Vida Sensibilidade e Arte | Movimento Artes sem Barreiras – Very Special Arts do Brasil (2004), são estes os grupos e instituições que me dedico na militância social, cultural e política tendo como finalidade a politização e potencialização do campo das Artes&Deficiências, os quais, se consolidam a Rede de Intervenção “BAILACOMIGO” (1998) pela parceria do DefNet (Centro de Informática e Informações sobre Paralisias Cerebrais) com a VSA do Brasil e a E&FAV (Escola e Faculdade Angel Vianna), onde trabalha como Assessora de Direção em Projetos Especiais: Documentação, Registro e Memória, como a coordenação do curso técnico e docência em dança contemporânea e na Pós Corpo, Diferenças e Educação da FAV. Dedico-me especialmente aos seguintes temas: corpo, dança, técnicas práticas de grupos, análise institucional, história oral, políticas públicas; políticas culturais; politica de acesso, economia da cultura; proteção e garantia de defesa dos direitos humanos; setor artístico; segmento pessoa com deficiência; cadeia produtiva; cultura, arte-estética; arte sem barreiras; diferenças; deficiências; acessibilidades; mobilidade; criança e adolescente; mulher; educação; capacitação e qualificação profissional; mercado e divisão social do trabalho. Atualmente é colaboradora do Laboratório de Direitos à Cidade.

Bruna Leão
Doutoranda em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Ceará. Mestre em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual do Ceará (2012), Graduada em LETRAS pela Universidade Estadual do Ceará (2009), Concludente do Curso Princípios Básicos de Teatro pela Escola Livre de Artes Cênicas (2003). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Tradução Audiovisual, atuando principalmente nos seguintes temas: tradução audiovisual, deficientes visuais, acessibilidade, audiodescrição e artes cênicas.

Bruno Abrahão (UFRJ)
É professor surdo Bruno Ferreira Abrahão é filho de pais surdos e teve LIBRAS como sua primeira língua materna. É professor e pesquisador da LIBRAS pela Faculdade de Letras-LIBRAS (UFRJ) responsável na graduação pelas disciplinas Literatura surda, Escrita de Sinais e Introdução a Fundamentos Linguísticos em LIBRAS e na Pós-graduação pela disciplina Morfossintaxe e ELAN em LIBRAS; pesquisador da LIBRAS e letramento para surdos por meio de contos e fábulas de História em LIBRAS no projeto de pesquisa desenvolvida pelo Laboratório de Pesquisa, Ensino e Extensão da LIBRAS – LAPEEL na UFRJ, coordenado pela Professora Dra. Linguística Deize Vieira Santos; diretor do Curso de Extensão em LIBRAS da UFRJ, professor e assessor técnico da LIBRAS na Pós-graduação em Tradução e Interpretação em LIBRAS: ensino e prática na Faculdade CCAA e no Centro Universitário Celso Lisboa; graduação em Letras-LIBRAS pela Universidade Federal de Santa Catarina ?UFSC (2012); pós-graduado lato sensu pelo Núcleo de Pós-Graduação em LIBRAS pelo Instituto de Educação e Ensino Superior de Samambaia – IESA no Distrito Federal (2012), com trabalho de finalização de curso intitulado “Literatura Surda: A criatividade visual nas produções de vídeos e teatros entre os surdos”; PROLIBRAS (2006) com proficiência para o Ensino Médio da LIBRAS; professor da LIBRAS no INES pela Divisão de Formação Cientifica e Recursos Humanos (210-2012); professor da LIBRAS na Educação Infantil e Ensino Fundamental atuando nas áreas de surdo-cegueira e EJA com alunos surdos pela Secretaria Municipal de Educação de Angra dos Reis (2008) e professor de LIBRAS pela Secretaria Estadual de Educação no Colégio Estadual Dr. Albert Sabin, atuando em sala de alfabetização e sala de recursos (2007). É conferencista, palestrante em congressos, seminários, fóruns, encontros e reuniões que promovam a educação bilíngue do sujeito surdo. Também trabalhou como Professor Visitante do Centro Universitário Celso Lisboa. Participou da correção das questões de Prova Específica de Conhecimentos de Conteúdo de Ensino Médio, Geografia , História e Matemática nos Cursos de Licenciatura e Bacharelado em Letras-Libras no ano de 2016 (edital nº 419 – de 30/11/2015). Em 11/11/2014 recebeu uma grande homenagem pela Faculdade CCAA que declarou em seu diploma de homenageado que ela prestava a homenagem pelo seu desempenho e dedicação constante à causa da Educação do Brasil. Domina o uso de recursos e tecnologias de criação e edição de mídias em vídeo e utiliza esses conhecimentos para a produção de materiais didáticos em cursos de Libras na UFRJ. Atualmente mestrando do Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Letras (Ciência da Literatura) na Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

Carla Freire
Coordena o Mestrado em Comunicação Acessível desde 2014 e é professora na Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Politécnico de Leiria, desde 2005, nas áreas da comunicação acessível, Multimédia, Tecnologias da Informação e Comunicação aplicadas à Educação e à Comunicação. Possui doutoramento em Engenharia Multimédia pela Universitat Politècnica de Catalunya com a tese “Introdução de ferramentas multimédia num contexto de terapia: Estudo exploratório aplicado à terapia de pacientes esquizofrênicos”; estudos pós-graduados em Comunicação Educacional e Media Digitais, pela Universidade Aberta; Licenciatura em Novas Tecnologias da Comunicação, pela Universidade de Aveiro. É membro integrado do Centro de Estudos em Educação e Inovação (CIDEI) e colabora no Observatório da Inclusão e Acessibilidade em Ação (iACT-CICS.NOVA), tendo como interesses de investigação: acessibilidade e inclusão; Intervenção na comunidade com base nas tecnologias e artes; TIC e Multimédia na Educação e Comunicação. É membro da Comissão Organizadora e Científica da Conferência Internacional para a Inclusão – INCLUDiT – desde 2013.

Carla Mauch
É coordenadora Geral da Mais Diferenças e pedagoga. Desenvolve projetos de educação e cultura inclusivas há mais de 20 anos. Assessora projetos de implementação de políticas públicas de livro, leitura, literatura e bibliotecas em uma perspectiva acessível e inclusiva. Assessora a pesquisa, experimentação e produção de livros em múltiplos formatos acessíveis. Faz parte do Conselho Consultivo do PNLL (Plano Nacional do Livro e Leitura).

Célia Sousa (Centro de Recursos para a Inclusão Digital – ESECS do IPLeiria)
É Doutorada em Ciências da Educação, Especialidade Comunicação pela UNEX. Coordena
desde 2006 o Centro de Recursos para a Inclusão Digital (CRID), do IPLeiria. Docente de Carreira na ESECS do IPLeiria. É Investigadora Integrada do Centro de Investigação interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa e colaboradora do grupo de Inovação, Design e Cultura (I) Material do CITAD – Centro de Investigação em Território, Arquitetura e Design da Universidade Lusíada. É membro da direção
da Sociedade Portuguesa de Engenharia de Reabilitação e Acessibilidade (SUPERA). Na última década tem desenvolvido projetos nas áreas das Tecnologias de Apoio e da Comunicação Aumentativa e colaborado como consultora nas áreas da acessibilidade e inclusão com diferentes entidades nacionais e internacionais entre as quais se destaca trabalho de consultoria para implementação da legislação da educação inclusiva com o Governo de Cabo Verde. É Autora e Coautora em diferentes publicações nacionais e internacionais nas áreas das Tecnologias de Apoio, Comunicação Aumentativa e Educação Especial. Recebeu em 2007 o Troféu Afonso Lopes Vieira, na Categoria de Comunicação pelo Semanário Região de Leiria, em 2015 o Prêmio Iniciativa de Alto Potencial em Inovação e Empreendedorismo Social, com o Projeto de Leitura Inclusiva Partilhada (PLIP), e Projeto Mil brinquedos Mil Sorrisos, pelo Mapa de Inovação e Empreendedorismo Social (MIES) em 2017 o “Prêmio EKUIzador do Ano” pela Associação LEQUE, em 2018 o Prémio “Acesso Cultura 2018” com o projeto do livro multiformato “A rainha das Rosas”. Participa desde 2016 como comentadora no programa a “Tarde é Sua” da cadeia de Televisão TVI na rúbrica “A Inclusão – Casos de Sucesso”. Como hobby escreve histórias infantis. 

Claudia Reinoso Araujo de Carvalho
É terapeuta Ocupacional. Professora Adjunta do Departamento de Terapia Ocupacional da  Universidade Federal do Rio de Janeiro- UFRJ. Professora e vice-coordenadora do Curso de Especialização em Acessibilidade Cultural da UFRJ. Doutora em Saúde Pública pela ENSP/ Fiocruz. Realizou Pós-doutorado junto ao Programa de Pós-Graduação em Terapia Ocupacional da Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Saúde Pública pela ENSP/Fiocruz. Especialista em Acessibilidade Cultural pela UFRJ. Especialista em Saúde Mental e Atenção Psicossocial pela ENSP/Fiocruz. Líder do grupo de pesquisa Envelhecimento humano: saúde, cultura e sociedade.

Claudia Werneck
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980), Claudia Werneck tem especialização em Comunicação e Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz (1998). Ativista política, articulista, empreendedora social, palestrante internacional, pesquisadora e consultora especializada em inclusão, direitos humanos, discriminação e diversidade Claudia Werneck é a única escritora brasileira com obras recomendadas simultaneamente por UNESCO e UNICEF, decisão tornada pública por meio de uma logomarca criada e publicada na capa de seus livros (2002). Autora de 14 títulos para crianças e adultos/as, com mais de 310 mil livros vendidos em português, inglês e espanhol (WVA Editora) no Brasil e exterior, idealizou e fundou, em 2002, a partir de sua obra, a Escola de Gente – Comunicação em Inclusão. Com 39 reconhecimentos e premiações nacionais e internacionais, a ONG é “Prêmio Direitos Humanos 2011” da presidência da República na categoria Direitos de Pessoas com Deficiência e “Ordem do Mérito Cultural 2014” do Ministério da Cultura na categoria “Artes Integradas”. De 2002 a 2014 a Escola de Gente já sensibilizou mais de 430 mil pessoas para a causa da inclusão em 21 estados de todas as regiões do Brasil e em 17 países das Américas, Europa, África e Oceania.

Cristina Fank
Terapeuta Ocupacional graduada pela Faculdade de Ciências da Saúde do Instituto Porto Alegre (IPA) em 2002. É colaboradora da empresa Mercur, atuando no Projeto Diversidade na Rua, através do qual vem se buscando desenvolver recursos de Tecnologia Assistiva junto com uma rede colaborativa de profissionais da área da saúde, educação, design, pessoas com deficiência e familiares.

Danielle Cristina Mendes Pereira (UFRJ)
É Mestre em Literatura Brasileira (2001) e Doutora em Literatura Comparada (2006) pela Universidade Federal Fluminense. Tem experiência na área de Letras; interessa-se, principalmente, pelos seguintes temas: diálogos entre literatura e outras linguagens artísticas; memória e representação literária; ensino de literatura para alunos surdos; estudos culturais surdos e representações estéticas. Membro dos Grupos de Pesquisa Linguagem & Sociedade (FFP/UERJ-CNPq) e LAPLI – Laboratório de Pesquisa e Extensão em Literatura e Imagem (UFRJ – CNPq), sendo coordenadora deste. Professora Adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro do Setor de Estudos Literários, no Departamento de Letras/Libras, onde atua na graduação, em turmas regulares e de formação de professores (PARFOR), e na pós-graduação, nos cursos de Especialização em Literatura Infantil e Juvenil e de Libras.

Desirée Nobre Salasar
Possui graduação em terapia ocupacional pela Universidade Federal de Pelotas (2017). É mestranda em Memória Social e Patrimônio Cultural pela mesma instituição. Realizou estágio em Acessibilidade Cultural no Museu da Comunidade Concelhia da Batalha, Portugal (2015). Atuou como bolsista e colaboradora do Programa de Extensão O Museu do Conhecimento para Todos (2012 – 2016). Responsável pelo Programa de Acessibilidade do Museu do Doce da UFPel e pelo Plano de Acessibilidade da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. 

Dilma Negreiros
Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Macaé (2005). Pós Graduada em Gestão Pública Municipal pela Fundação Educacional de Macaé (FUNEMAC)/ Faculdade Miguel Ângelo da Silva Santos (2013). Especialista em Acessibilidade Cultural pela Faculdade de Medicina da UFRJ (2014). Mestre em Comunicação Acessível pelo Instituto Politécnico de Leiria, Portugal (2017) na linha de pesquisa Acessibilidade em Ambientes Culturais. Atuou na Gestão Pública como coordenadora do Programa de Primeiro Emprego de Macaé para adolescentes e jovens. Coordenou ações na sociedade civil de formação profissional e encaminhamento ao mercado de trabalho para pessoas com deficiência, no Centro de Vida Independente / CVI – Macaé/RJ, pelo período de dez anos. Tem ampla experiência em coordenação de espaço cultural para atividades de formação artística e de lazer, atuando nos processos de gestão administrativa, pedagógica, elaboração, execução e prestação de contas de projetos socioculturais. Atualmente, coordena o CIEMH2 Núcleo Cultural, sendo responsável também pela Direção de Produção dos grupos profissionais de dança, em âmbito nacional e internacional. Na representação social é Conselheira Titular do Conselho Municipal de Cultura de Macaé, foi Delegada na III Conferência Nacional de Cultura, é Vice-Presidente do Conselho de Promoção de Políticas de Igualdade Racial de Macaé, ex integrante do Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro. Participa do Fórum dos Pontos de Cultura do Estado do Rio de Janeiro; da Comissão Nacional dos Pontos de Cultura; atuando na organização da Teia Estadual 2015 ? Encontro dos Pontos de Cultura do RJ.

Felipe Monteiro
É formado em tecnologia em processamento de dados pela Universidade de Barra Mansa RJ, bacharelado em piano e licenciatura em educação artística com habilitação em música pelo Conservatório Brasileiro de Música no Rio de Janeiro e pedagogia pela Universidade Castelo Branco em Curitiba PR.
Formação de consultor em audiodescrição através de cursos e oficinas ministrados pelos formadores Lívia Motta, Nadir Machado (Instituto Benjamin  Constant), Eliana Franco, Francisco Lima, Rosa Matsushita e Zoe Partington.  Atualmente está cursando a pós-graduação em tradução audiovisual acessível: audiodescrição pela UECE (Universidade Estadual do Ceará) e a pós-graduação em Acessibilidade Cultural pela UFRJ na cidade do Rio de Janeiro. 

Giselle Dupin
É graduada em Comunicação Social Jornalismo (UFMG), com pós-graduação em Relações Internacionais (PUC-MG) e em Gestão Cultural (Universidade de Paris Dauphine), Giselle Dupin é Ponto de Contato da UNESCO no Brasil para a Convenção sobre a Proteção e Promoção da Diversidade das Expressões Culturais. Servidora do Ministério da Cultura desde 2006, atualmente é Coordenadora-Geral de Cultura, Educação, Acessibilidade e Inclusão, da Secretaria da Diversidade Cultural.

Ingrid David Alves de Carvalho
É Bacharel em Comunicação Social, especialista em Acessibilidade Cultural e em Gestão Estratégica de Marketing Digital. Trabalha atualmente como Coordenadora de Relacionamento em Gestão de Patrocínios na Baluarte Cultura, possui uma experiência de mais de dez anos de atuação na área da comunicação – em órgãos governamentais, empresas privadas e no terceiro setor. Há cinco anos seus trabalhos são direcionados para o segmento cultural, com propósito na luta pela Inclusão e pela Diversidade.

Jefferson Fernandes (UFRN)
Possui Graduação em Pedagogia (1991), mestrado em Ciências Sociais (1997) e Doutorado em Educação (2004) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Pós-Doutorado na UECE com estudo na área de Audiodescrição para Teatro (2012). Professor Associado do Departamento de Práticas Educacionais e Currículo, do Centro de Educação da UFRN. Coordena o Setor de Acessibilidade da Secretaria de Educação a Distância da UFRN. Membro dos Programas de Pós-Graduação de Educação e Artes Cênicas da UFRN. Orienta e pesquisa na interface Arte, Acessibilidade e Educação, com ênfase na relação Teatro e Deficiência visual. É diretor teatral e membro do Grupo Estandarte de Teatro – Natal/RN.

Josélia Neves (Universidade Qatar)
Joselia Neves é graduada em Línguas Modernas e Literatura, possui mestrado em Estudos em Inglês e também possui PhD em Estudos de Tradução, com uma tese sobre legendas para surdos e pessoas com dificuldades auditivas.
Ela liderou um número expressivo de projetos com parcerias na mídia, nos museus e ambientes culturais, nas artes performáticas e na educação. Seu interesse está situado principalmente no desenvolvimento de pesquisas práticas que contribuam para que ambientes de comunicação sejam acessível para todos. Josélia é membro do TransMedia Research Group e membro do conselho do European Association for Studies in Screen Translation.

Leticia  dos  Santos Grativol
É Assistente Social, Especialista em Acessibilidade Cultural e Mestranda em Políticas Públicas em Direitos Humanos. Atualmente trabalha na Coordenação-Geral de Acesso e Difusão do Acervo  do Arquivo Nacional/ Ministério da Justiça. Cofundadora da Rede Nacional de Especialistas em Acessibilidade Cultural;  Participante da Rede de Articulação, Fomento e Formação em Acessibilidade Cultural. Foi Conselheira da Juventude da Cidade do Rio de Janeiro. Estuda temas relacionados a Juventude, Acessibilidade e Direitos Humanos.

Miryam Bonadiu Pelosi
Professora Associada do Departamento de Terapia Ocupacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro possui graduação em Terapia Ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos (1986), mestrado (2000) e doutorado (2008) em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Pesquisadora da área de Tecnologia Assistiva e Inclusão Escolar, coordena o LabAssistiva, é lider do Grupo de Pesquisa do CNPq intitulado “Terapia Ocupacional e Tecnologia Assistiva em diferentes contextos”, e desenvolve estudos, produtos e serviços no Núcleo de Pesquisa em Tecnologia Assistiva da UFRJ.

Patricia Dorneles
Possui graduação em terapia ocupacional pela Federação das Faculdades Metodistas do Sul Instituto Porto Alegre (1995). É mestre em educação (2001) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), na linha de pesquisa educação popular e movimentos sociais; doutora em geografia (2011) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), na linha ambiente, ensino e território; e pós-doutora em terapia ocupacional pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Foi idealizadora e é a atual coordenadora do Curso de Especialização em Acessibilidade Cultural da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É Superintendente de Difusão Cultural do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ.

Robson Xavier
Coordenador do Programa Associado de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal da Paraíba/Universidade Federal de Pernambuco. Ex Coordenador da Pinacoteca da UFPB (2015/2016). Professor efetivo Adjunto II e Ex-Chefe do Departamento de Artes Visuais – DAV (2004-2007) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Pós Doutor pelo PGEHA MAC/USP (2017); Doutor em Arquitetura e Urbanismo (PPGAU/UFRN – 2014), Ex-bolsista do doutoramento pelo Programa Erasmus Mundus 17 da União Europeia pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitectura da Universidade do Minho, Campus de Azurém, Guimarães, Portugal (período: setembro de 2010 a setembro de 2012), Ex-bolsista de Mobilidade de Professores Brasileiros da Fundación Carolina, Universidad de Granada, España (DEZ 2014, JAN e FEV 2015); Mestre em História (UFPB – 2007), especialista em Educação e Tecnologia da Informação e Comunicação (UFPB – 2005), Sociologia (UFPB/CEFET – 1997) e Educação Especial (UFPB – 1995), com formação em Arteterapia pela Clínica Pomar do Rio de Janeiro (2004), Licenciado em Educação Artística – Artes Plásticas (UFPB – 1993). Membro da Associação Brasileira de Crítica de Arte – ABCA e da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas – ANPAP – foi 2º secretário da ANPAP na gestão 2009-2010. Criador e Coordenador do Laboratório de Artes Visuais Aplicadas e Integrativas (LAVAIs) CCTA/UFPB; Criador e Líder do Grupo de Pesquisa em Arte, Museus e Inclusão (GPAMI), credenciado pelo CNPq; Membro do Grupo Interdisciplinar de Estudos Sobre o Imaginário da UFPE. Atua na área de Artes Visuais, com ênfase em: Educação em Artes Visuais, Curadorias e História das Exposições, pesquisando os seguintes temas: Artes Visuais, Arte Contemporânea, Arquiteturas da Arte, Curadorias, História das Exposições, Estudos de Públicos em Museus, Educação em Artes Visuais, História Visual, Arteterapia e Educação Inclusiva. Link para Portfólio: http://robsonxis.wixsite.com/art-portfolio.

Renata Silencio de Lima
Pós Graduada na Especialização Acessibilidade Cultural – UFRJ em 2016
Pós Graduada no MBA Observatório de Turismo da FGV – EBAPE em 2010,
Bacharel em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense em 2003. Tem experiência em Planejamento, Coordenação de Produção, Produção Executiva e Produção Administrativa de projetos culturais. Atualmente é professora no IFRJ – Campus Nilópolis no Bacharelado em Produção Cultural , na Pós Graduação em Linguagens Artísticas, Cultura e Educação e PRONATEC – Assistente de Produção.
Membro do Núcleo Docente Estruturante do Bacharelado em Produção Cultural Vice coordenadora do NAPNE – Núcleo de Apoio para Pessoas com Necessidades Específicas – IFRJ -Campus Nilópolis. Professora do Curso Técnico em Eventos da rede FAETEC. Consultora em planejamento e gestão de projetos culturais.

Rogério Andreolli (Conselho Municipal de Cultura – Rio de Janeiro)
Rogério Andreolli é portador de sequela de Pólio desde 9 meses de idade, porém, mesmo com isso, decidiu seguir seu sonho de trabalhar no meio artístico.  Em 1990 concluiu o Curso de Formação de Ator na Faculdade do Rio de Janeiro e, no mesmo ano, foi convidado pelo Very Special Art do Brasil para participar de um evento realizado em Taipei, Taiwan. No ano seguinte, em 1991, iniciou estudo como bailarino, se tornando o primeiro homem deficiente no Brasil a dançar em uma cadeira de rodas. Em 1992 estreou no Grupo Giro, participando de diversos eventos e festivais, entre eles, o Projeto Evening Series, na Eco 92. Em 94 representou o Brasil no VSA Festival na Bélgica e em 98 participou da abertura do 1.º Teleton. Em 1999 começou uma parceria que perdura até hoje, redendendo bons frutos e muito sucesso com Teresa Taquechel, fundadora da Pulsar Cia. de Dança, chamou Rogério para fazer parte de sua recém fundada companhia, companhia essa da qual Rogério faz parte até hoje. Junto da Pulsar e de Teresa, Rogério se apresentou nos principais festivais de dança do Rio de Janeiro e do Brasil, além de alguns festivais internacionais.Também juntamente com a Pulsar Cia. De Dança, ministra workshops e palestras sobre inclusão socio-cultural das pessoas portadoras de necessidades especiais através da arte.

Silda Santos
Administradora, contadora e mestre em Desenvolvimento Regional. Atualmente colabora em projetos, no LAB espaço de Criação e no Colegiado da Mercur. Facilita  processos de cocriação, legitimação e experimentação potencializados pela criatividade e inteligência coletiva, bem como na conexão de redes colaborativas em busca de soluções que façam diferença na vida das pessoas. Conecta-se com projetos de Inovação Social, facilitando e promovendo momentos de debates e conversas significativas com diversas redes. Na busca por um repensar do processo de produção e consumo, partindo das “reais” necessidades das pessoas e invertendo a lógica do desenvolvimento de produtos.

Teco Barbero (FACENS – SP)
Jornalista, fotógrafo, professor de fotografia e colaborador da equipe de marketing da FACENS foi convidado pelo MACS (Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba) para dar aulas para um grupo de pessoas com deficiência visual e baixa visão.

Vera Lúcia Vieira de Souza
Possui graduação em Terapia Ocupacional, pela Sociedade Unificada de Ensino Superior Augusto Motta/ Escola de Reabilitação do Rio de Janeiro – ERRJ-ABBR (1978), Doutorado (2015) e Mestrado (2000) em Educação pelo Programa de Pós-graduação da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2000). Especialista em Acessibilidade Cultural pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016). Atualmente é professora do Departamento de Terapia Ocupacional da Faculdade de Medicina do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro e chefe do Serviço de Terapia Ocupacional do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira- IPPMG/UFRJ. Atuou como Vice-coordenadora do Curso de Graduação em Terapia Ocupacional (2015). Tem experiência na atenção a crianças, jovens e adultos com deficiências e alterações funcionais, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento infantil, reabilitação, pessoa com deficiência, tecnologia assistiva, comunicação alternativa e ampliada, educação inclusiva, educação infantil, brincar, acessibilidade cultural, atenção à crianças no contexto ambulatorial, hospitalar, domiciliar, escolar e cultural.

Verônica Mattoso
Professora responsável pelas disciplinas. Idealizadora da disciplina eletiva “Acessibilidade em Gastronomia” como resultado do Trabalho de Conclusão da segunda turma do Curso de Especialização em Acessibilidade Cultural da UFRJ, em 2016.

Virgínia Kastrup
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979), mestrado em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984), doutorado em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997) e pós-doutorado no CNRS, Paris (2002) e CNAM, Paris (2010). Atualmente é Professora Titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Publica e dá pareceres nas revistas Psicologia e Sociedade, Revista do Departamento de Psicologia (UFF), Psicologia Ciência e Profissão , Psicologia em Estudo, Arquivos Brasileiros de Psicologia e Psicologia. Reflexão e Crítica, dentre outras. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Cognitiva, atuando principalmente nos seguintes temas: cognição, invenção, produção da subjetividade, aprendizagem, atenção, arte e deficiência visual.

 

Anúncios